Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

madness

madness

Qui | 04.01.18

Review de Livro ➟ Broken: Despedaçada

ivy hurst

 

 

Broken: Despedaçada

Autor: Tânia Dias

Data de publicação: Setembro de 2015

Número de páginas: 422

ISBN: 978-989-51-5345-9

Colecção: Viagens na Ficção

Género: Ficção

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sinopse:

Assumir o seu papel como líder não estava nos planos de Alexia White, mas quando a sua mãe perde a vida num terrível assalto ao castelo, ela vê-se sem opções. Num mundo onde os fracos se distinguem dos fortes pelos dons que possuem, Alexia está no topo da lista e precisa de aprender a lidar com os seus dons se pretende recuperar Starnyz das garras do traidor. Ian Bealfire, um homem que exala arrogância e prepotência por todos os poros, parece disposto a ocupar o lugar de seu Mestre. Há quem diga que a jovem está destinada a salvar o mundo mas despedaçada pelas perdas que sofreu. Assombrada pelas memórias do passado, será mesmo capaz de salvar o mundo, quando nem a si parece ser capaz salvar?

 



Opinião:

Antes de começar a review propriamente dita, quero só dizer umas coisinhas. Tinha prometido a mim mesma que este seria o primeiro livro que leria assim que conseguisse parceria com a editora, e cumpri a minha promessa. Se me arrependo? Óbvio que não!

 

Em primeiro lugar, uma das coisas que mais gostei foi a capa. Todos sabemos que os olhos comem (e muito!), por isso a capa de um livro (e não só) acaba por ser um elemento importante. Ai e os meus olhos comem tanto... Enfim, gostei da capa!

 

Em segundo, a sinopse. Meu Deus (ou deverei dizer Deuses?!), quando a li fiquei tão ansiosa para descobrir mais sobre a Alexia! Não só sobre ela, mas também para entender tudo à sua volta: os dons, o facto de agora ter de liderar, de ter perdido a mãe, e... Ian Bealfire! Desde a sinopse que fiquei de olho nessa personagem.

 

 

 

 

Comecei a ler logo no dia em que recebi o livro. Estava tão entusiasmada! No início, achei-o um pouco... Confuso, digamos. Tudo o que eu sabia era que a mãe de Alexia (e rainha) tinha falecido, deixando para trás um povo que chorou (bastante) a sua morte. Mas nem falemos do povo, a Alexia ficou completamente de rastos! Mas, porque é que achei confuso? Porque eu queria saber o que raio se tinha passado e quem tinha sido e tudo mais! Deuses, sou tão impaciente!

 

Nesse dia acabei por ler muito pouco. Enfim, eu também sou uma pessoa que lê devagarinho, não me julguem. Porém, nos dias seguintes fui avançando cada vez mais, pois já não era capaz de pousar o livro ao fim de poucas páginas. Queria sempre saber mais, queria saber mais sobre o Ian. Tenho a sensação que sou das poucas que prefere o Aaron (noivo da Alexia) ao Ian (Mestre). Sééérioo, Alex, deixa o arrogante e fica com o teu noivo que é o homem mais fofo de todo o sempre! Gurl, vá lá!

 

Juro que não sou capaz de amar o Ian, acho que vou sempre preferir o Aaron... A não ser que a Tânia, nos próximos livros, me obrigue a gostar dele. Tânia, se tu me matas o Aaron, eu vou ficar desgostosa! Digamos que o Ian é... Olhem, é o que diz na sinopse! Fiquei a gostar ainda menos dele quando, já quase no fim, descobri que tinha sido ele a matar o pai da Alex. "Sem querer" ou não, eu não quero saber! Não gosto dele! Fica com o Aaron, Alex!

 

Okay, isto é muito comentário e acredito que, quem não leu, está às aranhas... Perdão. Vou falar então de uma maneira geral, para concluir de uma forma mais civilizada e não tão... à fangirl.

 

 

 

No geral, eu gostei bastante da história! Ao início temos uma Alexia Despedaçada, deprimida, que acha que não é capaz de fazer o que é necessário: liderar o seu povo. Porém, com o tempo, Alex vai-se erguendo de uma maneira majestosa. Torna-se mais forte, torna-se na mulher que o seu povo precisa para os liderar. A Alexia mandona que vimos no capítulo 23 (se não me engano) é a minha preferida. Estou na esperança de voltar a vê-la, embora não tenha a certeza se ela volta a aparecer.

 

Ao longo da leitura encontrei também vários erros. Eu sou muito coisinha com isso... Não é uma qualidade, é um defeito terrível! Isto porque os erros incomodam-me mesmo, mas não o suficiente. Isso e as construções frásicas. Mas isso é o menos, os erros é que pronto... Defeito meu :(

MAAAS... Deixar de ler uma história tão gira como esta por causa disso? Hell no. Erros todos damos! E gostava de avisar e frisar que, quando os menciono, não o faço por maldade. Sou assim e pronto... Para além disso, prefiro ser sincera. Sou tão sincera que falei deste assunto com a Tânia (autora).

 

E por falar nela! Gurl, despacha-te lá com o segundo porque tou querendo! Gostei bastante de tudo isto dos elementos, juro. É diferente, e acho que foi muito bem conseguido, estás de parabéns! Mas por favor... Traz-me mais Aaron, deixa lá o Ian...... :P

 

Peço imensa desculpa por isto ter ficado tão gigante mas eu quando começo a escrever... Enfim, vêem sempre testamentos! Desde já quero agradecer à Chiado Editora. Em segundo lugar, gostaria de agradecer à Tânia Dias, por me ter dado a conhecer o seu livro no grupo de bloggers. E claro, por ter sido tão simpática (e sincera) comigo!

 

 

Leitura com o apoio do parceiro

 

 

2 comentários

Comentar post