Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

madness

madness

Qui | 30.04.15

Jogos :: Life Is Strange (Episódios 1 & 2)

ivy hurst

Hoje trago-vos a review de um jogo praticamente recente, cujo o nome é Life Is Strange! 

 

 

Life Is Strange (L.I.S.) é um jogo episódico (dividido em cinco partes), dos mesmo produtores de Remember Me (R.M.). Confesso que quando, há uns tempos atrás, olhei para a capa jogo me lembrei de imediato do Remember Me. Não me perguntem o porquê... Talvez por a rapariga ter umas certas semelhanças com a Nilin, personagem principal do R.M.

 

 

 

Sei que vocês não vão entender que tipo de semelhanças é que eu estou a falar, mas para ser sincera também não vos sei explicar. Já para não falar que no Remember Me tínhamos uma Nilin que podia aceder e remexer nas Memórias das pessoas, e no Life Is Strange temos uma Max que é capaz de voltar atrás no tempo.

 

Deixando-me de comparações que a maior parte de vós provavelmente nem entende (deixem lá, se fosse eu se calhar também não entendia), falemos então do jogo em si.

 

 

Infelizmente eu não pude jogar com os gráficos na qualidade mais elevada devido à falta de uma boa placa gráfica, mas mesmo assim consegui jogar na perfeição numa qualidade mediana. Este não é daquele tipo de jogos que nós ficamos parados durante algum tempo a admirar os gráficos e o realismo a esse nível, mas sim daqueles em que nos obrigam a investigar e tomarmos decisões por conta própria que podem vir a ter algumas consequências. Sendo que neste podemos voltar atrás no tempo, eu creio que ainda se torna mais tramado que os outros jogos deste tipo.

 

O primeiro episódio, uma vez que serve como de introdução não só à história em si como também aos poderes da Max, considero-o como sendo mais leve. Começamos quase na brincadeira e a jogar só porque sim, e tomamos por vezes decisões que nem sempre eram as mais acertadas. Mas no segundo episódio, as coisas intensificam-se um pouco mais. Por exemplo, testa até a memória do jogador! Eu confesso que essa parte foi um bocadinho complicada para mim, porque não sou muito boa a decorar o que quer que seja. É óbvio que eu podia, por exemplo, ter apontado à medida que ia acertando mas preferi não o fazer. Um exemplo disto é quando Chloe, a melhor amiga de Max, nos pede para adivinhar o que ela tem nos bolsos e provar assim que conseguimos voltar atrás no tempo. Pior ainda é a parte que vem depois dessa, mas eu não vos vou contar... Senão, não tarda têm aí toda a história e as coisas perdem a sua piada.

 

É um jogo que nos faz realmente pensar. Faz-nos ficar com aquela tão conhecida questão: E se...? É horrível, a sério. Uma das personagens morreu, e eu ainda estou com a sensação que a culpa foi realmente minha e que não era suposto ela morrer no jogo Continuo a pensar que se tivesse atendido ao seu telefonema, talvez ela não tivesse morrido. Sou tão má, meu deus! 

 

Ok, começo a achar que ela ia morrer na mesma mas pronto....

 

É realmente um bom jogo e aconselho-vos a o jogarem. Aviso desde já que para quem não tem paciência para pequenos quebra-cabeças nem para procurar/explorar, mais vale nem tentarem! Dou quatro de cinco estrelas pelo simples facto do jogo ainda não estar completo, portanto... Temos ainda mais três episódios pela frente, e espero que sejam ainda melhores que os anteriores! O próximo sai já dia 5 de Maio, e estou já muito ansiosa para o poder jogar!

 

 

Descansa em paz, Kate!

 

 

2 comentários

Comentar post